quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

SUGESTÕES PARA CRIAR UM AMBIENTE ALFABETIZADOR EM SALA DE AULA

O AMBIENTE ALFABETIZADOR DA ESCOLA FAVORECE A APRENDIZAGEM DA LEITURA, ESCRITA E MATEMÁTICA



Utilizar com todas as crianças o alfabeto completo em diversos formatos e materiais.

Expor frequentemente produções escritas da turma.

Expor na sala o alfabeto completo com objeto/nome correspondente a cada letra, visível para todas as crianças.

Disponibilizar fichas com nomes das crianças para uso e consulta diários.

Utilizar materiais que contribuem para reflexão sobre o Sistema de Escrita Alfabética, tais como: jogos, alfabetos, brinquedos cantados, etc.

Utilizar canções, poesias e brincadeiras que permitem a reflexão fonológica, contagem e recitação numérica.

Privilegiar o uso dos murais com produções das crianças e informações atualizadas (produções de texto, registro das situações matemáticas, etc.).

Fixar em local acessível a todas as crianças os textos utilizados para pesquisa e releituras.

Aproveitar os cartazes/folhetos/panfletos informativos da comunidade para leitura e construções matemáticas.

Garantir, no planejamento, diariamente, momentos para a leitura do universo literário

Ampliar o contato das crianças com recursos e gêneros diversos (dicionários, registros do cotidiano, outras linguagens).

Fazer uso, diariamente, de materiais que organizam tempos/espaços (calendários, relógio, agenda, mapas, quadro de horários de atividades).

utilizar objetos que permitem diversas formas de contagem e auxiliam na construção de conceitos matemáticos (palitos, tampas, bolinha de gude, boliche, pega varetas, etc)

Ter em sala números em sequência, nome dos números e respectivas quantidades visível e acessível a todos.

Manusear com as crianças materiais que auxiliam na construção do Sistema de Numeração Decimal (palitos, canudos, ligas, fichas numéricas, etc.)

Oferecer às crianças materiais estruturados que auxiliam na construção do SND (material dourado, fichas escalonadas, ábaco).

Disponibilizar materiais que possibilitem a percepção de formas no cotidiano (cilindros, triângulos, cubos, esferas).

Utilizar materiais que permitem a comparação de tamanho entre objetos, pessoas, espaços (palmos, pés, barbante, trena, régua, fita métrica, etc.)

Oferecer, para uso das crianças durante as atividades, os instrumentos de medidas arbitrárias (litros, garrafas, copos medidores, balanças, etc)

fonte: SIMEC - sispacto















Postar um comentário