sábado, 8 de outubro de 2016

PROBLEMAS MATEMÁTICOS EM TIRAS - APRENDENDO A LER PROBLEMAS

APRENDENDO A LER PROBLEMAS

As dificuldades que os alunos encontram em ler e compreender textos de problemas está entre outros fatores, ligada à ausência de um trabalho específico com o texto do problema. O estilo no qual os problemas de matemática geralmente são escritos, a falta de compreensão de um conceito envolvido no problema, o uso de termos específicos da matemática que, portanto, não fazem parte do cotidiano do aluno e até mesmo palavras que têm significados diferentes na matemática e fora dela ─ total, diferença, ímpar, média, volume, produto ─ podem constituir-se em obstáculos para que ocorra a compreensão.
Para que tais dificuldades sejam superadas, e para que não surjam dificuldades, é preciso alguns cuidados desde o início da escolarização, ou seja, desde o período de alfabetização. Cuidados com a leitura que o professor faz de problemas, cuidados em propor tarefas específicas de interpretação do texto de problemas, enfim, um projeto de intervenções didáticas destinadas exclusivamente a levar os alunos a lerem problemas de matemática com autonomia e compreensão.


Quando os alunos ainda não são leitores, o professor pode ler todo o problema para eles e, posteriormente, quando passam a ler o texto, pode auxiliá-los nessa leitura, garantindo que todos compreendam o problema, cuidando para não enfatizar palavras-chave nem usar qualquer recurso que os impeça de buscar a solução por si mesmos. Todavia, há outros recursos dos quais podemos nos valer para explorar alfabetização e matemática enquanto trabalhamos com problemas e para auxiliar os alunos que, mesmo alfabetizados, apresentam dificuldades na interpretação dos textos de problemas.
Um desses recursos é escrever uma cópia do problema no quadro, ou projetar em uma tela, e fazer com os alunos uma leitura cuidadosa. Primeiro, do problema todo, para que eles tenham uma idéia geral da situação, depois mais vagarosamente, para que percebam as palavras do texto, sua grafia e seu significado.
Outra possibilidade é propor o problema escrito e fazer questionamentos orais com a classe, como é comum que se faça durante a discussão de um texto, o que auxilia o trabalho inicial com problemas escritos:
- Quem pode me contar o problema novamente?
- Há alguma palavra nova ou desconhecida?
- Do que trata o problema?
- Qual é a pergunta?
Novamente, o cuidado nessa estratégia é para não resolver o problema pelos alunos durante a discussão, e também não tornar esse recurso uma regra ou um conjunto de passos obrigatórios que representem um roteiro de resolução. Se providenciar para cada aluno uma folha com o problema escrito, o professor pode ainda:
o   Pedir aos alunos que encontrem e circulem determinadas palavras.
o   Escolher uma palavra do problema e pedir aos alunos que encontrem no texto outras que comecem, ou terminem, com o mesmo som ou com a mesma letra, escrevendo as palavras em uma lista.
o   Escrever no quadro o texto do problema sem algumas palavras, pedir para os alunos olharem seus textos em duplas para descobrir as palavras que faltam e completar os textos. Conforme as palavras são descobertas, os alunos são convidados a ir ao quadro e completar os espaços com tais palavras.
Em todos esses casos, o professor pode escolher trabalhar com palavras e frases que sejam significativas para os alunos, ou que precisem ser discutidas com a classe, inclusive aquelas que se relacionam com noções matemáticas. Os problemas são resolvidos após toda a discussão sobre o texto, que a essa altura já terá sido interpretado e compreendido pela classe, uma vez que as atividades que sugerimos aqui contemplam leitura, escrita e interpretação simultaneamente.



PROBLEMAS EM TIRAS


Nessa estratégia de leitura, os alunos, em duplas e depois individualmente, recebem um problema escrito em tiras, como se fosse um quebra-cabeças que deve ser montado na ordem correta antes de ser resolvido:




Essa proposta auxilia os alunos a perceberem como se articula o texto do problema e como é construído, enfatizando a coerência textual e a articulação da pergunta com o restante do texto. É possível modificar essa proposta para levar os alunos a refletirem sobre o papel dos dados numéricos no texto do problema. Para tanto, podemos apresentar o problema em tiras com os dados em separado para que, após organizarem as frases, os alunos coloquem os dados nas frases e resolvam o problema:


Os números do problema são: 14, 57 e 630.


Postar um comentário