sexta-feira, 17 de maio de 2013

FESTA JUNINA


Origem da Festa Junina 

Existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que esta festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.
De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).
 Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.  
Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenasafro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.  


Festas Juninas no Nordeste 

Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.
Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas. 
Comidas típicas 

Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos.
Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais. 
Tradições 

As tradições fazem parte das comemorações. O mês de junho é marcado pelas fogueiras, que servem como centro para a famosa dança de quadrilhas. Os balões também compõem este cenário, embora cada vez mais raros em função das leis que proíbem esta prática, em função dos riscos de incêndio que representam.
No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.
Já na região Sudeste são tradicionais a realização de quermesses. Estas festas populares são realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre durante toda a quermesse.
Como Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro, são comuns as simpatias para mulheres solteiras que querem se casar. No dia 13 de junho, as igrejas católicas distribuem o “pãozinho de Santo Antônio”. Diz a tradição que o pão bento deve ser colocado junto aos outros mantimentos da casa, para que nunca ocorra a falta. As mulheres que querem se casar, diz a tradição, devem comer deste pão.



PROJETO FESTA JUNINA


Objetivos:

Compreender a história da festa junina, bem como seu valor dentro do folclore brasileiro, destacando seus aspectos sociais e religiosos;

Linguagem Oral e Escrita:

Demonstrar autonomia na escolha de livros para “ler” e apreciar.
Identificar a escrita de seu nome e dos colegas nas diversas situações do cotidiano;
Perceber a função social da leitura e da escrita através de diversos usos da língua;

Atividades:

 Roda de conversas sobre a origem das festas juninas;
Deixar que as crianças relatem suas opiniões a respeito do assunto em pauta.
Escuta da fala das crianças, fazendo perguntas pertinentes ao assunto, incentivando-as a elaborarem melhor suas respostas.
Ouvir e recontar as histórias contadas.
Permitir que as crianças ditem letras de músicas tradicionais das festas juninas, e a professora escreva.
Ler ainda que de forma não convencional a letra da canção escolhida e ditada pelas crianças, destacando a palavra de trabalho.
Elaborar listas do que tem nas festas juninas.
Escrever espontaneamente palavras relacionadas à Festa Junina da escola.
Organização de leitura em que as próprias crianças: Estabeleçam uma relação entre o que é falado e o que está escrito (embora ainda não saibam ler convencionalmente). Nessas atividades de “leitura”, as crianças devem saber o texto de cor e tentar localizar onde estão escritas determinadas palavras.
Precisam descobrir o sentido do texto apoiando-se nos mais diversos elementos, como nas figuras que o acompanham, na diagramação, em seus conhecimentos prévios sobre o assunto, no conhecimento que têm sobre algumas características próprias do gênero etc.
Escrita dos nomes em todos os trabalhos;

Linguagem Matemática:

Construir a noção de tempo a partir de vivências e atividades propostas;
Resolver situações-problema, utilizando o raciocínio lógico-matemático;
Ordenar os elementos de uma classe, a partir de uma ou mais diferenças
Identificar números nos diferentes contextos em que se encontram.

Atividades:

Construção do calendário do mês de junho pelas crianças, para que identifiquem os dias da semana, e visualizem o dia correspondente ao mês.
Contar e recontar os colegas de classe, objetos variados, e elementos do conjunto das coisas que encontramos nas festas juninas.
Brincar de faz de conta utilizando elementos da festa junina.Ex: Barraquinha de doces; salgados, bebidas, etc. Usando dinheiro confeccionado de R$1,00 até R$5,00.

Natureza e sociedade:

Conscientizar as crianças sobre o perigo dos balões, nesta época do ano;
Utilizar, com ajuda dos adultos, fotos, relatos e outros registros para a observação de paisagens do campo e da cidade.
“Como é viver em uma cidade muito grande ou muito pequena?”, “Será que todas as crianças utilizam os mesmos meios de transporte que utilizamos? Será que elas brincam das mesmas brincadeiras? Quais serão os alimentos preferidos delas?”
Conversa com as crianças utilizando como suporte fotografias, cartões postais e outros tipos de imagens que retratem as paisagens variadas. (textos informativos e literários, músicas, documentários e filmes que façam referências a outras paisagens).
Realizar pesquisas sobre a origem das festas juninas.

Atividades:

Pesquisar as consequências desastrosas dos fogos de artifícios e balões usados para alegrar as festas juninas;       
Observação e percepção das mudanças que ocorrem na paisagem local, conforme a variação do dia e da noite, a sucessão das estações do ano, a passagem dos meses e dos anos, a época das festas etc, para que elas aprendam a estabelecer relações entre essas mudanças.      
Estabelecer as diferenças do há na roça e na cidade.
Pesquisar origem das festas de:  São João, Santo Antônio e São Pedro e a relação que elas tem com as festas Juninas. 
    
Linguagem Plástica e Visual:

Explorar as características, propriedades e possibilidades de manuseio de diversos materiais, entrando em contato com formas diversas de expressão artística;
Conhecer a diversidade de produções artísticas, como desenhos, pinturas,
Realizar espontaneamente desenhos sobre o tema Festa Junina ou desenho ilustrativo das histórias contadas;

Atividades:

Desenhar espontaneamente personagens de história contadas pela professora.
Confeccionar trabalhos utilizando recortes e colagem de palito coloridos para montagem de barraquinhas;
Dobraduras e pinturas de bandeirinhas e balões.

Linguagem Musical e Movimento:

Identificar elementos da música para se expressar interagir com os outros e ampliar seu conhecimento do mundo;
Desenvolver a memória musical através de repertório variado de canções;

Atividades:

Identificar elementos da música para se expressar interagir com os outros e ampliar seu conhecimento do mundo;
Propor as crianças cantarem uma música: rápido, devagar, com a boca aberta, bem alto, bem baixinho, com a boca fechada, com os dentes cerrados, com a língua de fora, fazendo biquinho, chorando, rindo, imitando a voz da bruxa, do lobo, da criancinha, do anão, do gigante, dizendo segredo..., para que as crianças percebam as qualidades do som.
Ouvir, cantar e dançar músicas tradicionais de festa junina para apresentarem no evento escolar.
Ensaiar a quadrilha para ser apresentada na festa da escola.
Criação de pequenas canções, onde as crianças podem fazer rimas com seus próprios nomes e dos colegas, com nomes de frutas, cores, assuntos e acontecimentos vivenciados no dia-a-dia.

Identidade e Autonomia:

Participar de situações que envolvam a relação com o outro.
Participar de brincadeiras e da exploração de diferentes brinquedos.

Atividades:

Imitar de ações que representem diferentes pessoas, utilizando vários meios de comunicação social: Assistindo a TV, imitando um personagem da TV; Ouvindo rádio ou imitando um radialista, etc.
Brincar de telefone com fio, confeccionando-o com copos de guaravita e linha grossa ou barbante.



ATIVIDADES DE PRODUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO - FESTA JUNINA





















MAIS ATIVIDADES PARA VOCÊ



















































Postar um comentário